Algumas questões sobre os ecossistemas.

2.1. Menciona os sistemas que integram a biosfera.

R: Os sistemas que integram a biosfera são 3, a hidrosfera, a atmosfera e a litosfera.

2.2. Define ecossistema.

R: Ecossistema é a ciência estuda as relações que existem entre os organismos e os ambientes onde estes vivem, abrangendo os componentes vivos e não vivos.

2.3. Distingue população de comunidade.

R: Uma população é constituída por mais de um individuo da mesma espécie, mas de sexos diferentes de modo a que possam assegurar a sua continuidade, enquanto que uma comunidade é constituída por várias populações de espécies diferentes.

2.4. Define espécie.

R: Espécie é a unidade básica do sistema taxonómico, utilizado na classificação científica dos seres vivos.

2.5. Define factor limitante.

R: Factor limitante é todo e qualquer agente que dificulte a sobrevivência, o crescimento ou a reprodução de uma espécie.

2.6. Distingue animais homeotérmicos de poiquilotérmicos.

R: Os animais homeotérmicos são aqueles que têm a capacidade de manter a sua temperatura corporal estável. Os animais poiquilotérmicos são aqueles que não têm a capacidade de manter a sua temperatura corporal estável, esta vacila de acordo com a temperatura ambiente.

2.7. Define hibernação.

R: Hibernação é o estado pelo qual os animais de sangue quente passam no Inverno, principalmente nas regiões muito frias.

2.8. Refere os factores abióticos nos ecossistemas aquáticos.

R:São factores abióticos no sistema aquático o solo, a temperatura, a luz e a húmidade (nestes casos muito abundante).

 

 

Realizado com a ajuda do Manual Bioterra 8, da Porto Editora

Ecossistemas

Ecologia

A Ecologia resulta da junção de dois termos gregos “oikos” (casa) e “logos” (estudo). É a ciência estuda as relações que existem entre os organismos e os ambientes onde estes vivem, abrangendo os componentes vivos e não vivos.

Estas relações podem referir-se a organismos individuais (Ecologia comportamental, estratégias de alimentação), populações (dinâmica populacional), ou comunidades inteiras (competição entre espécies pelo acesso aos recursos do ecossistema ou a relação predador-presa). A Ecologia diz respeito à gestão e conservação de habitats e às consequências e à tentativa do controlo da poluição.

 

 

Ecossistema

Ecossistema resulta da junção de duas palavras gregas: “oikos” (casa) e “systema” (sistema), e significa o grupo formado por todas as comunidades que habitam e comunicam entre si em certa região e também pelos factores abióticos que agem sobre elas.

Quando além destes factores, actua também pelo menos uma população agrícola, dá-se o nome agroecossistema

Todo o sistema poderá sofrer modificações devido à alteração de um só elemento, o que provocará a perda do equilíbrio existente.

Assim, a Biosfera é o resultado da junção de todos os ecossistemas mundiais.

 

 

Factores abióticos

Os factores abióticos são constituídos pelos elementos do ambiente físico e químico que actuam em quase todos os aspectos da vida dos diferentes organismos. Os factores irão influenciar o crescimento, actividade e as características que os seres mostram, e também a sua distribuição por locais diferentes. Variam de valor de local para local, determinando uma grande diversidade de ambientes.

Estes agrupam-se em dois grupos. Os factores climáticos (tais como a luz, a temperatura e a humidade) são os que caracterizam os climas de cada região e os factores edáficos, (são os que, entre outras coisas, destacam a composição química e a estrutura do solo).

 

 

Factores bióticos

Biótico vem do termo bio = vida

Ecologicamente falando, dá-se o nome de factores bióticos a todos e quaisquer resultados dos efeitos criados pelos organismos de um ecossistema que regulam as populações que o constituem.

 

 

Comunidade

Comunidade (ou biocenose) é o conjunto de todos os organismos vivos que pertencem ao mesmo ecossistema e comunicam entre si, mas a um nível mais elevado de complexidade de um ecossistema.

De acordo com características que significam algo para os humanos, uma comunidade pode ter seus limites definidos. Porém, esta também pode ser determinada por um dos indivíduos que a constituem, por exemplo, as comunidades têm estrutura trófica, fluxo de energia, biodiversidade, processos de sucessão, entre outras coisas.

 

 

População

Grupo de indivíduos que acasalam entre si, com o objectivo de criar descendência.

A Ecologia tem dois amos que estudam as populações de seres vivos, são elas, a Biologia populacional e Genética de populações.

Cada espécie pode ou não conter uma ou mais populações separadas. Cada uma das populações pode ter apenas alguns indivíduos ou milhares deles, desde que estes produzam descendência. Se um grupo de indivíduos não tem a capacidade de produzir descendência, esse grupo não pode ser considerado uma população.

Biologicamente os indivíduos de uma população que possam estar limitados a reproduzirem-se apenas entre si, devido ao isolamento físico, podem reproduzir-se com todos os outros membros da espécie ou subespécie.

 

Espécie

A palavra espécie deriva do latim ”species” e significa “tipo” ou “aparência”.

Este conceito é fundamental na Biologia e fala acerca da unidade básica do sistema taxonómico, utilizado na classificação científica dos seres vivos. Esta ideia construiu-se em torno da constituição de grupos de indivíduos (os espécimes) com bastantes semelhanças estruturais e funcionais recíprocas.

 

 

Organismo

A palavra organismo vem do grego “organismós” que em português significa conjunto.

 

Um organismo é o conjunto de órgãos de que é constituído um ser vivo, organizado, com entidade própria, capaz de se reproduzir, de se desenvolver e de se manter.

 

 

Factor limitante

São factores limitantes todos e quaisquer agentes que dificultem a a sobrevivência, o crescimento ou a reprodução de uma espécie.

 

 

Poiquilotérmico

São os organismos que não têm um mecanismo interno que consiga regular a sua temperatura corporal, por isso estes corpos tem duas opções. Ou o seu corpo permanece com temperaturas variáveis, dependendo das do meio ambiente onde está incluído, ou tem comportamentos que ajudem a estabilizar a temperatura do seu organismo, de modo a que possa sobreviver. Estes organismos são normalmente chamados de “animais de sangue frio”.

 

 

Homeotérmico

São animais que têm a temperatura corporal constante independentemente da variação da temperatura do meio exterior. A temperatura corporal interna é regulada de forma precisa através de processos metabólicos gerados pela intensa combustão de alimento energético nas células.

São exemplos destes animais as aves e os mamíferos.

 

 

Hibernação

Estado pelo qual os animais de sangue quente passam no Inverno, principalmente nas regiões muito frias.

Os animais ficam num estado de sonolência e inactividade, no qual as necessidades e funções do organismo ficam tão reduzidas que apenas servem para garantir a sobrevivência do animal.

 

 

Estivação

A estivação consiste num processo muito parecido com o da hibernação só que, em vez de ocorrer nas estações frias, ocorre nas estações quentes e secas devido às altas temperaturas, à falta de água e de alimento e à escassez de humidade, pois essas são as maiores ameaças para estes animais tais como caracol, a minhoca e o mexilhão.

 

 

Migração

É o movimento de um grande número de indivíduos da mesma espécie de uma região para outra, com o objectivo de obter melhores condições de vida.

 

 

Bibliografia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecologia

http://www.educacao.te.pt/professores/index.jsp?p=167&idDossier=43&idDossierCapitulo=166&idDossierPagina=372

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecossistema

http://campus.fortunecity.com/yale/757/factores.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fator_biótico

http://www.ib.usp.br/ecosteiros/textos_educ/costao/zonacao/bioticos.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fator_biótico

http://pt.wikipedia.org/wiki/Comunidade

http://pt.wikipedia.org/wiki/População

http://pt.wikipedia.org/wiki/Espécie

http://pt.wikipedia.org/wiki/Organismo#O_organismo_no_espectro_biol.C3.B3gico

http://www.ib.usp.br/ecologia/fatores_limitantes_print.htm

http://www.babylon.com/definition/poiquilotérmico/Portuguese

http://pt.wikipedia.org/wiki/Poiquilotérmico

http://www.infopedia.pt/$homeotermico

http://pt.wikipedia.org/wiki/Homeotermia

http://www.saudeanimal.com.br/2mil_002.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hibernação

http://abweb.no.sapo.pt/produt/adapta/glossario.htm

http://www.infopedia.pt/lingua-portuguesa/organismo

Zonas Húmidas de Portugal

As zonas húmidas são zonas que geralmente têm uma vasta biodiversidade, tanto de plantas como de seres aquáticos.

São zonas húmidas, por exemplo:os sapais, charcos, pantanos, paul e turfas ou águas, que podem ser naturais, artificiais, temporárias ou permanentes.

Terra húmida no condado de Marshall, Indiana

As zonas húmidas podem ser vistas como zonas de transição entre um rio ou um oceano e o ambiente terrestre.

 

Espécies

As zonas húmidas são importantes áreas para o ecoturismo devido ao seu fácil acesso e à sua extrema biodiversidade.

Embora possuam, na maior parte das vezes as suas próprias espécies (Ex. Árvore do matagal ou o caniço), em zonas de húmidas de água doce, as espécies são, na maior parte animais aquáticos que são próprios dos ecossitemas circundantes.

As aves, os pelicanos, os flamingos, as garças e as águias são algumas das espécies caracteristicas das zonas húmidas. Elas alimentam-se de peixes e de outros animais aquáticos que nelas vivem.

Várias espécies de mamíferos utilizam as zonas húmidas para se alimentarem das frutas ou vegetais que ali nascem e também de outros pequenos animais. Também utilizam as zonas húmidas como “o local para banhos”e ,no caso de animais de maior porte, aquele também poderá ser um dos locais onde venham a beber água.

As zonas húmidas são importantes áreas para o ecoturismo devido ao seu fácil acesso e à sua extrema biodiversidade.

 

Conservação

Muitas zonas húmidas foram consideradas ”de importância internacional” (devido à Convenção de Ramsar ou “Convenção sobre as Zonas Húmidas de Importância Internacional, especialmente enquanto «Habitat» de Aves Aquáticas”, que foi assinada a 2 de Fevereiro de 1971), fazendo com que os países que as albergam sejam obrigados a promover o seu estudo e conservação.

Uma das prioridades ditas na Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e Biodiversidade, (aprovada em 2001) é a conservação das zonas húmidas em Portugal. Porém, as zonas húmidas portuguesas encontram-se em risco porque o nosso país não cumpriu as obrigações estabelecidas na assinatura da convenção, assinada em 1980, relacionadas com a preservação destes ecossistemas. Por causa deste elevado risco, é urgente que sejam tomadas medidas concretas para a sua protecção, tais como a divulgação e a sensibilização sobre os benefícios da preservação destas zonas e das leis que a elas estão associadas.

Devido ao avanço dos conhecimentos acerca do papel que estes ecossistemas representam e da sua responsabilidade ambiental muitos países tem legislação específica para a sua conservação.

 

 

Zonas húmidas protegidas em Portugal

As zonas húmidas protegidas em Portugal são:

 

O Parque Nacional  

 

O Parque Natural

 

A Reserva Natural

 

O monumento Natural

 

A Paisagem Protegida

 

Sabia?

  • Por suportarem um grande volume de água, as zonas húmidas conseguem controlar as cheias.
  • Muitas das espécies da zonas húmidas, principalmente as plantas podem ser utilizadas pelo homem de forma sustentável, obtendo assim valor económico.
  • Os mangais protegem a costa da erosão marinha e são também os responsáveis pelo avanço da linha da costa.
  • Com o desenvolvimento industrial, várias zonas húmidas acabaram destruídas para fins de construção de habitações, indústrias ou estradas.

Filme

Tenha acesso a uma filmagem de uma das zonas húmidas existentes em Portugal, através desta hiperligação:

Bibliografia:

 

Hello world!

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.